ESG
Escola Superior de Guerra

Encerramento do Programa de Atualização da Mulher 2016

O Programa de Atualização da Mulher (PAM), da Escola Superior de Guerra (ESG), realizou, em 16 de novembro, uma solenidade para marcar o encerramento das atividades de 2016. O programa proporcionou a participação do segmento feminino em temas atuais, por meio de palestras, conferências, painéis e demais atividades de caráter cultural, social e informativo.

Após o canto do Hino Nacional Brasileiro, foi composta a mesa de honra pelo Comandante da ESG, Tenente-Brigadeiro do Ar Rafael Rodrigues Filho, pelo Subcomandante da ESG, General de Divisão Eduardo Diniz, e pelo Diretor do PAM, Contra-Almirante RM1 Nilton Moreira Salgado, que efetuaram a entrega dos distintivos às senhoras.

A oradora da turma "Asas para a Liberdade", Senhora Lucinda Cardoso Rodrigues, discursou em nome do grupo. Após, o Comandante da ESG e a Representante da Turma, Senhora Fernanda Martini Diniz, inauguraram a placa comemorativa.

Ao dirigir-se à turma "Asas para a Liberdade", o Brigadeiro Rodrigues Filho falou da satisfação pela conclusão de mais um Programa de Atualização da Mulher, iniciado em 2006, e registrou a escolha da patronesse "Princesa Isabel", insigne brasileira, sendo reconhecida como "A Redentora", responsável pela assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil.

Na ocasião, o PAM 2016 plantou uma muda de Camélias Brancas, registrando, neste gesto, a passagem das 150 integrantes do programa pela Escola Superior de Guerra. As Camélias Brancas eram cultivadas com a ajuda dos escravos fugidos no Quilombo do Leblon, onde existiu a chácara que pertencia ao abolicionista José de Seixas. A Camélia Branca, também denominada como "Flor Subversiva", era comprada pela Princesa Isabel, que conhecia a existência do quilombo.