Você está aqui: Página Inicial > Notícias > CEMC encerra sua participação no AZUVER

Notícias

CEMC encerra sua participação no AZUVER

No último dia 6 de novembro, os estagiários do Curso de Estado-Maior Conjunto (CEMC) da Escola Superior de Guerra (ESG) encerraram sua participação no AZUVER. “O exercício atendeu todos os objetivos educacionais propostos”, ressaltou o Chefe do Instituto de Doutrina de Operações Conjuntas (IDOC), General de Brigada João Cesar Zambão da Silva, na abertura do evento.

Durante quatro semanas, os estagiários foram divididos em grupos para a produção de quatro documentos estratégicos em uma situação de conflito entre países: a Diretriz Presidencial de Emprego de Defesa (DPED), a Diretriz Ministerial de Emprego da Defesa (DMED), a Diretriz de Planejamento Estratégico Militar (DPEM) e o Plano Estratégico de Emprego Conjunto das Forças Armadas (PEECFA).

No dia 17 de outubro, foram apresentadas as versões da DMED, de acordo com cada representação no jogo político. No trabalho, vários aspectos foram considerados, como questões diplomáticas, estratégias de mobilização, legitimidade das ações, direito internacional, entre outras. “O exercício do jogo Azuver nos prepara para assessorar autoridades na confecção de documentos e tomada de decisão nos níveis estratégicos e políticos”, explica o estagiário do CEMC, Coronel Muniz.

Na semana seguinte, no dia 21 de outubro, os grupos discutiram a Diretriz de Planejamento Estratégico Militar (DPEM). No documento foram contemplados todos os pontos estratégicos envolvidos nos níveis militar e diplomático. Detalhes como regras de engajamento, criação de um gabinete de crise e o funcionamento de alguns setores foram examinados e inseridos na diretriz.

Outro momento importante da atividade foram os debates com as interações entre estagiários e professores da Escola Superior de Guerra (ESG).  “Essas trocas deveriam existir mais. A parceria cívico-militar é importante para alertar os estagiários sobre outros aspectos além dos militares. Com a nossa participação, a percepção é ampliada, o que ajuda o estagiário a não deixar o tomador de decisão vulnerável”, ressaltou professora Cintiene, integrante do corpo docente da ESG.

Após a exposição dos trabalhos, aconteceram os debates entre estagiários e professores que enriquecem o conhecimento produzido.

No dia 30 de outubro, os trabalhos foram submetidos à apreciação do Comandante da ESG, Almirante de Esquadra Alipio Jorge Rodrigues da Silva; do Assistente Militar da Marinha na ESG, Contra-Almirante Márcio de Vasconcellos Rocha; e de representantes da Chefia de Operações Conjuntas e da Chefia de Logística e Mobilização do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, o que contribuiu para que os documentos fossem aperfeiçoados e finalizados.

No dia 5 de novembro, os estagiários do curso visitaram a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) onde assistiram a uma palestra sobre o exercício. Lá participaram da simulação da situação sob uma ótica operacional, com estratégias voltadas para o campo militar e para aspectos da sociedade como, por exemplo, a atuação da imprensa.  

“Os estagiários do CEMC demonstraram muito empenho e profissionalismo durante todo o exercício. Ainda destaco a participação dos professores da ESG na elaboração do problema político simulado”, enfatiza o General Zambão.

registrado em: