Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Fomento à Ciência, Tecnologia e Inovação é tema de palestra no III Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa

Notícias

Fomento à Ciência, Tecnologia e Inovação é tema de palestra no III Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa

O III Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa, realizado em parceria pela Escola Superior de Guerra (ESG) e pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), teve a participação do General de Divisão Waldemar Barroso Magno, Diretor Presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), no dia 9 de julho. O General realizou sua exposição sobre o tema “A FINEP como Agência Promotora do Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil: fomento público à Ciência, Tecnologia e Inovação no setor industrial”.

A FINEP é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, que atua há mais de 50 anos em apoio à área em todo o Brasil.  De acordo com o General Barroso, todas suas ações devem estar voltadas para causar impacto na sociedade: produzir conhecimento, gerar riqueza e contribuir para a qualidade de vida dos brasileiros.

O palestrante elencou seis itens necessários para inovar: recursos humanos qualificados, infraestrutura de pesquisa, financiamento de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento, financiamento à empresas inovadoras (as chamadas startups), ambientes de inovação e interação entre atores do sistema.

O Diretor Presidente destacou a presença capilar da Financiadora no mundo acadêmnico: quase todas as universidades federais e estaduais já receberam aportes nos últimos 15 anos. A FINEP também atua em toda a cadeia de inovação, integrando os mecanismos e viabilizando o resultado desejado. “O Brasil possui vocação para ser inovador. O que muitas vezes falta é oportunidade”, constatou. Em uma participação especial na palestra, o Coronel Felipe Aurélio Caetano de Bastos, assessor especial da Presidência da FINEP, realçou a capacidade que a academia e a indústria brasileiras têm para resolver problemas.

O General Barroso ainda provocou uma reflexão nos participantes: “Muitas vezes se pergunta se a tríade Ciência, Tecnologia e Inovação é uma questão de soberania nacional. Se devemos desenvolver produtos ou importá-los”. A resposta vem através do noticiário. Agora, no contexto da pandemia, muitos países que poderiam exportar insumos e equipamentos optaram por priorizar o atendimento a seus mercados internos ao invés de vender para outras nações.

O Ministérioda Ciência, Tecnologia e Inovações tem participação estratégica no combate à COVID-19. Por intermédio da FINEP, linhas de apoio e financiamento já receberam quase R$ 1 bilhão de reais desde o início da pandemia. Esses recursos têm impacto direto na prevenção, diagnóstico e tratamento do coronavírus e demonstram como é primordial realizar investimentos na pesquisa nacional.

Após a palestra, os participantes fizeram perguntas e tiraram dúvidas com o General. A videoconferência foi acompanhada pelo Comandante da ESG, Almirante de Esquadra Wladmilson Borges de Aguiar, pelo Subcomandante da Escola, Major Brigadeiro do Ar Leonidas de Araújo Medeiros Júnior, e pelo Diretor do Campus Rio da ESG, General de Brigada Marco Antonio Martin da Silva.

O III Ciclo de Estudos Estratégicos de Defesa conta com oito semanas de programação 100% on-line, debruçando-se sobre aspectos da Defesa, Infraestrutura, Desenvolvimento e perspectivas para o cenário pós-pandemia. Além de integrantes da FIESC e da ESG, o Ciclo também conta com a participação das Federações das Indústrias dos Estados da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Tocantins e Minas Gerais.

registrado em: